domingo, 4 de junho de 2017

JOGOS COREOGRÁFICOS - criação cênica


   
Para aprender e ensinar dança é preciso dispor de caminhos metodológicos que não levem a muitas possibilidades de construção dos saberes: artístico, intelectual, corporal e espiritual. Os jogos de criação em dança são um dos recursos que podem ser utilizados pelo professor/coreografo para preparação corporal ou em processos de criação, sugerindo atividades, experiências, meios de realização, aplicação e de descoberta de novas formas expressivas de movimento para a composição do exercício cênico. Nas artes o papel do jogo é construir o eu cênico. Consiste em uma formação básica para o dançarino, interprete sensível e observador do processo de criação.

Sugestões de atividades:
   
    Corpo numerado: jogo em que o orientador numera as partes do corpo dos participantes (jogadores), fazendo com que o grupo associe e memorize cada parte ao seu número; logo em seguida, sugere duas partes corporais a serem trabalhadas, indicando apenas o número correspondente, a fim de exercitar a memória; 

O mestre invisível: Os jogadores espalham-se pelo espaço. O orientador dá um sinal para que todos caminhem enquanto, sem que ninguém o veja; toca em uma pessoa tornando-a mestre, cuja função será realizar uma série de movimentos com o intuito de que todos reproduzam os seus movimentos. A principal condição é a de que o participante mantenha o foco do olhar apenas em quem estiver ao alcance do seu campo de visão, sem movimentar a cabeça para procurar o mestre.

Objetos em jogo: os jogadores se mantêm em círculo, em uma roda. O jogo acontece com os participantes sempre mantendo contato com algum objeto, modificando ou não a funcionalidade do mesmo, explorando movimentos em níveis diferentes e usando dança, movimento e o objeto como suporte, apoio, ou elemento de transformação cênica.

Sem mãos: jogo que consiste em “tirar os membros superiores” do dançarino. Neste jogo cada pessoa deverá utilizar o corpo todo, exceto os braços e mãos para realizar sua movimentação pelo espaço. Deverá, durante o seu percurso, dançar com outros jogadores, além de que deverá também utilizar os fatores do movimento de Laban, assim como trabalhar os níveis (baixo, médio, alto).

A máquina: Todos os participantes em pé em círculo. O facilitador solicita que todos construam uma máquina em movimento, usando somente seus próprios corpos. A seguir orienta, dizendo que um dos participantes irá dar início, fazendo movimentos repetitivos, com os braços, um no alto e outro pra baixo, movimento ritmado, acompanhado pelo som da boca. Os outros participantes ajuntam-se um a um, imitando um dos participantes que iniciou o jogo, como parte de uma grande maquina, e depois vão acrescentando seus próprios movimentos e sons de boca. O exercício continua até que todos tenham se integrado, imitando os diferentes sons e movimentos.

Espelho: Em duplas, um será o reflexo (o que imita) e outro será o que faz a ação. Um de frente para o outro. Uma pessoa inicia a movimentação e outro faz o espelho (faz o movimento do mesmo lado).

João bobo: Coloque os participantes em roda e um no centro. Peça o que estiver no centro que firme o corpo e confie nos seus colegas deixando –se movimentar para frente, traz, lados...

Partes isoladas: Caminhando pelo espaço ao comando de voz os participantes terão seus corpos conduzidos por uma parte do corpo. Ex; cabeça, cotovelo, mão, está parte irá conduzir toda movimentação.

Telefone sem fio: Em roda de costas para ela. Um vai fazer um movimento e mostrar seu colega, ele deverá repetir para o colega do lado e assim sucessivamente. 

Trabalhando musicalidade e ritmo: Bater palmas no ritmo rápido, lento, forte, fraco. Use bolinhas para marcar a pulsação de uma música, vai jogando uns para os outros.

Até a próxima!
Seu comentário é importante!

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O PODER DO MOVIMENTO - ARTE E ESPIRITUALIDADE

O poder do movimento é mover-se...o poder da arte é fazer cair as máscaras. 


Parece óbvio essa frase, mas muitos nunca pararam pra pensar no poder da arte, no poder do movimento. Mas é por meio do movimento corporal que o individuo pode explorar-se e integrar o desenvolvimento físico, emocional, cognitivo com expressividade e criatividade. E porque não desenvolver sua espiritualidade. Vivenciar a dança, o movimento pode transformar o estado de consciência do ser que o pratica, fornecendo a integração psicofísica (mente-corpo) em busca do caminho para a liberdade e para o sagrado.
A dança tem o poder de nos reinventar, o movimento verdadeiro vem do íntimo. O movimento verdadeiro, puro em sua essência vem da sua capacidade de desembaralhar as telas que refletem nossa insanidade coletiva. Ou seja sua capacidade de se libertar de si mesmo e dos outros. Isso acontece quando ultrapassamos as superfícies da existência comum e nos conectamos com o mistério divino, permitindo ser envolvidos em algo além do movimento.
A espiritualidade transpira em nossos poros. Mais do que movimentos externos a dança é expressão dos medos, dores, tensões, da alegria, do contentamento e da transcendência do ser humano. É um ato de liberdade, qualquer pessoa que se dedique a arte do movimento chegará á conclusão de que a dança é a capacidade de fundir os seres de dois mundos em um só lugar. Enquanto os movimentos corporais tramitem vibrações físicas, estas são acompanhadas das vibrações espirituais de quem a pratica. A arte da dança transcende o corpo, ela precisa da totalidade pra ser completa e eficaz em sua mensagem.
Agora vamos imaginar o poder que temos nas mãos, ou melhor nos nossos corpos. Mesmo nos tempos antigos alguns estudiosos/religiosos por não entender o poder desse movimento, proibiu qualquer tipo de manifestação corporal, marginalizando a dança e ritos religiosos. O homem desde do principio dos tempos sempre dançou pra se conectar com o sagrado. O espirito humano sabe que precisa de arte. Que precisa se expressar e ser livre. Podemos adentrar nos corações por meio da arte, neste caso estamos falando da dança. 
Os seus movimentos revelam muito do seu interior, de sua relação com o sagrado. Quem tem sido sua fonte de inspiração, sua motivação em enquanto movimenta. A dança é um diálogo onde as palavras são os movimentos carregados de intencionalidade e direção. 

" Fazendo das palavras silêncio, e do silêncio gestos..."

É um ato de amor, união perfeita da alma com DEUS, ela deve transmitir algo mais que movimentos belos e perfeitos, a dança precisa ser pura, preciosa, verdadeira, libertadora pra que possa derrubar as paredes da superficialidade, do vazio e do terreno. Deixando de ser escravo das circunstâncias e dos outros. O sagrado quando entendemos a sua essência, passamos a ter a consciência da real intenção dos movimentos, o principio que o ilumina e o direciona. Transmitindo a mensagem nítida, eficaz e capaz de potencializar transformações visíveis de dentro pra fora. A dança é uma iniciação a vida, é o eterno movimento até DEUS, o ser humano precisa se alimentar dessa fonte. É a oração do corpo!

Até a próxima!

By BENEVIDES

Sugestão de leitura
Um Deus que dança de José Tolentino Mendonça.

Seu comentário é importante!

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

VAMOS ALONGAR


Os alongamentos são o elo entre a vida sedentária e a vida ativa. São eles que preparam o nosso corpo e nos ajudam a realizar diversas atividades sem tensões indevidas. A primeira coisa fundamental de fazer antes de se alongar é fazer um aquecimento do corpo. Aquecer é importante porque vai aumentar a temperatura dos músculos e a elasticidade deles. Qualquer exercício leve é útil neste caso, correr, pedalar, polichinelos, entre outros.

ALONGAMENTO, O QUE É?  

Segundo o dicionário Aurelio é o ato ou efeito de alongar-se ou que se destina a distender ( tornar mais longo) os músculos. Os alongamentos são exercícios que focam o aumento da flexibilidade muscular, promovendo o estiramento das fibras musculares, fazendo que elas aumentem de comprimento. 

PRA QUE SERVE? 

Os alongamentos possuem um papel fundamental para o funcionamento do corpo, pois feitos de modo correto eles proporcionam uma maior elasticidade do corpo. Outro ponto importante é o aumento da agilidade, pois ao aumentar a amplitude dos movimentos das articulações você tem um ganho excelente em sua movimentação, reduzindo a tensão e permitindo movimentos mais coordenados e eficientes.

E QUAIS OS TIPOS?

Existem vários tipos de alongamento como ativo, passivo, FNP, balístico e estático. Mas vamos falar dos dois mais conhecidos: o estático que consiste em ficar parado na posição do alongamento por um período de tempo ( podendo variar de 15 a 30 segundos), esticando a musculatura até que possa sentir um leve desconforto. Essa técnica é considerada segura pois esses exercícios são leves e a probabilidade deles causarem alguma lesão é pequena, pois a técnica não consiste em movimentos muito bruscos e sim no simples esticamento dos músculos. 
O segundo tipo de alongamento é o dinâmico. Este usa contrações musculares para forçar a extensão do músculo por meio de movimentos pendulares ininterruptos. Embora alongue rapidamente o músculo a cada repetição, o movimento pendular também ativa a resposta do reflexo miotático (reflexo miotático é o reflexo motor que ocorre em resposta ao estiramento de um músculo, pode ocorrer em todos os músculos esqueléticos do corpo. O exemplo mais famoso de reflexo miotático é o reflexo patelar). Veja o video com exemplos de alongamento dinâmico e estático. 


BENEFÍCIOS DO ALONGAMENTO MUSCULAR
  1. Relaxa os músculos e reduz a tensão muscular responsável por dores nas costas, ombros e pescoço.
  2. Atua como prevenção de lesões, reduzindo o risco.
  3. Reduz o estresse com o relaxamento corporal.
  4. Melhora a flexibilidade.
  5. Aumenta a amplitude de movimento.
  6. Ajuda a ter movimentos mais coordenados e eficientes.
  7. Prepara e aquece os músculos para a atividade física.
  8. Ajuda no tratamento de dores na coluna.
  9. Melhora a postura.
  10. Melhora a consciência corporal.
  11. Ativa a circulação do sangue.

QUANDO DEVE SER FEITO O ALONGAMENTO? 

O alongamento muscular não é prejudicial, ele traz benefícios para o corpo como citado anteriormente, entretanto deve ser praticado no momento certo. Em períodos distantes dos treinos, ou em dias alternados se seu objetivo é um treinamento intensivo pra ganho de flexibilidade específica, como ginastica artística e outros. Em outros casos os seus benefícios irão facilitar na prevenção de lesões, bem como ajudar o desempenho físico, dando mais segurança na hora dos treinos e é claro colaborando para uma melhor qualidade de vida. Podendo ser feito antes ou depois do treino. Antes do treino, vai preparar os músculos, que ficam protegidos de possíveis lesões e têm seu desempenho potencializado. Depois da atividade física, o alongamento ajuda novamente a estirar as fibras musculares que se contraíram durante o exercício, contribuindo para o relaxamento. Visto que o alongamento é uma preparação para as atividades físicas ou atividades diárias que atuam na prevenção de lesões e tornam a vida bem mais descomplicada sem tensões. Então alongue-se! Veja os alongamento básicos na tabela acima ou nos videos.
Sugestão de Leitura: Livro Anatomia do Alongamento Guia ilustrado para aumentar a flexibilidade e a força muscular de Jouko Kokkonen Arnold G Nelson.
By BENEVIDES

Seu comentário é importante!

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

ELEMENTOS BÁSICOS DA DANÇA 2 - características


Olá pessoal como já falamos dos quatros elementos da dança, que são a base pra ela se conceber. Agora vamos abrir mais o leque e falar dos elementos que são estruturantes da dança. Ou seja elementos a serem explorados entorno do corpo dentro de uma Cinesfera.

Observe a figura ao lado, notamos que existe um estrutura em torno da bailarina. Nos ilustra o movimento corporal a primeira estrutura da dança, dentro dessa dimensão temos a Cinesfera com os quatros elementos básicos da dança: corpo, espaço, força e tempo.


CINESFERA OU KINESFERA (elemento corpo)

Primeiramente temos o corpo com suas partes internas, externas, os movimentos e passos que esse corpo pode realizar e a cinesfera se constituí em torno dele. 

OBS: Nesta tabela estão os quatro elementos da dança e suas características estruturantes.


A cinesfera é tudo que podemos alcançar com todas as partes do corpo, perto ou longe, grande ou pequeno com movimentos rápidos ou lentos e assim por diante. Segundo Laban é a delimitação espacial, onde partes do corpo do agente quando se estica a partir do centro do corpo, em qualquer direção, a partir de um ponto de apoio. É a esfera que delimita o limite natural do espaço pessoal em torno do corpo daquele que se move ou não. Ela se mantêm constante em relação ao corpo, sendo "carregada" pelo corpo quando se move. " A cinesfera pode também ser um espaço psicológico, a partir do qual toda a expressividade guarda coerência." A cinesfera pode variar em amplitude de movimentos: Externo se relaciona com a pele, é elástica e permite a interação da pessoa com o meio (o espaço e outras cinesferas). Médio se relaciona com os músculos, é gestual e formal, usada no espaço social. Interno se relaciona com os ossos, estrutura.

O FLUXO ( elemento tempo) 

Qualidade de movimento que refere-se a tensão muscular com a qual se deixa fluir um movimento - fluência contínua e interrompida e seus graus de tensão. Fluxo Livre: Uma movimentação sem interrupções, onde o indivíduo está livre para se movimentar como quiser desde que seja sem pausa. Fluxo conduzido ou controlado: É um estado de cuidado com o movimento, há uma maior tensão muscular para se possa controlar a intensidade desse movimento. Fluxo Interrompido: É o máximo da tensão para que se faça uma interrupção imediata do movimento, que origina movimentos quebrados. 

GIRO ( elemento espaço/corpo/tempo) 

O giro vai depender do estilo de dança se é ballet, street dance, contemporâneo... Giro é rotacionar o corpo no seu próprio eixo. Os giros trazem a experiência de equilíbrio estável e desequilíbrio.


SALTOS ( elemento corpo/força/tempo) 

Utilizando eixos verticais e horizontais; os saltos ou pulos são movimentos que deixam o corpo temporariamente sem suporte; o corpo fica suspenso no ar, perdendo o contato com o chão ou outra base de sustentação em que o corpo se apoie. O salto pode ser visto com relação ao peso (leve ou forte) e com relação ao tempo (rápido ou lento).

EIXO ( elemento corpo/espaço) 

Fortalecimento das cadeias musculares principalmente do centro como eixo da movimentação, possibilitando o estudo da sustentação e equilíbrio. Linha principal que divide um corpo em segmentos simétricos ou equilibrados. Essa linha reta, real ou imaginária, que atravessa o centro de um corpo e em torno da qual esse corpo efetua ou pode efetuar movimento de rotação.

PESO ( elemento força/corpo)

Qualidade de Movimento que refere-se as mudanças de força utilizadas pelo corpo ao movimentar-se. Passivo, ativo, leve, pesado, transferência, contrapeso e suas graduações. Estabilidade e instabilidade. 
Peso leve: Transmite uma sensação de leveza, ou de ausência de peso como por exemplo uma bailarina dançando na ponta dos pés, ou um carinho delicado no rosto de alguém querido. Peso Pesado: Exige uma carga maior de força para ser executado, como por exemplo o bater do martelo de um operário, um elefante andando ou dar um soco em alguém.

NÍVEIS (elemento espaço)

Com relação à altura: alto, médio e baixo - de modo geral são movimentos possíveis do corpo utilizando os espaços acima da cabeça, na altura da cintura ou abaixo dela.

DIMENSÃO ( elemento espaço)

Extensão entre duas direções opostas. É um elemento básico de orientação no espaço. São três as dimensões: amplitude (ou largura), comprimento (ou altura) e profundidade. A dimensão é determinado pela porção de espaço que um corpo ocupa; tamanho e proporção.

DIREÇÃO ( elemento espaço) 

É a trajetória traçada no espaço. Devemos sempre ficar atentos para o que Laban chama de direção, que indica, na verdade, o sentido para onde o movimento segue, partindo sempre do centro do corpo. Direções (sentido; aonde se vai): Frente, trás, lado, diagonais, em cima e em baixo.

Obs: símbolos das direções

DESLOCAMENTO (elemento corpo/espaço) 

O deslocamento se dá quando você está utilizando por exemplo um palco ou uma cena, você se desloca para pontos específicos de uma coreografia. O deslocamento pode ser feito de diferentes formas em uma dança. Saltando, andando, correndo, sendo carregado, se arrastando, girando, entre outras. Esses deslocamentos podem se dar por meio de “caminhos” retos ou curvos, e serem feitos individual ou coletivamente. Deslocamentos corporais: podem ser restritas ao espaço compreendido entre o eixo longitudinal do corpo e a maior distância que os segmentos corporais possam alcançar, sem deslocamento ou através de deslocamento: Onde o corpo se translada de um ponto a outro no espaço. Podemos utilizar o espaço aéreo: saltos e suspensões ou o solo: quedas e rolamentos.

VELOCIDADE (elemento tempo) 

Velocidade em que são executados determinados movimentos pode ser rápido, moderado e lento. É uma qualidade bastante subjetiva, pois deve-se sempre ter um parâmetro de comparação para definir o que é rápido e o que é lento.

Esses são os principais elementos estruturantes, dos quais são essenciais quando pensamos em dança. Como podem ver na tabela acima temos varias outras características dentro de um elemento. Então pra fácil compreensão temos os elementos formais ou básicos da dança e dentro da cinesfera o elementos de estruturação.

Sugestões de Leituras:  Textos revisado do site da secretaria de cultura do Estado do Paraná, Apostila de dança criativa da professora Angela Ferreira da Unidança e Wikipédia, a enciclopédia livre.

BOM ESTUDOS! By BENEVIDES

Seu comentário é importante!

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

OS QUATRO ELEMENTOS BÁSICOS DA DANÇA

Quando nos movemos, movemos o corpo num espaço, com uma determinada força e tempo. Esses são os quatro elementos da dança.

O CORPO

Instrumento maravilhoso da dança. Membros e órgãos se integram com sensibilidade e consciência para dar sustentação a graciosos movimentos e passos. O corpo, na dança, compreende as partes internas e externas, os movimentos e os passos. Podemos realizar vários movimentos de locomoção como andar, correr, saltar e outros.

O ESPAÇO 

O espaço é um local dentro da qual o movimento se apresenta como um fluxo contínuo. O movimento é parte integrante do movimento. " O espaço é um aspecto oculto do movimento e o movimento é um aspecto visível do espaço." ( Domínio do Movimento - Rudolf Laban. São Paulo: Summus Editorial 1978). Mesmo quando não estamos em movimento, nossos corpos estão ocupando um determinado espaço, ou seja, estamos fazendo formas estáticas no espaço. Quando nos movemos, cada movimento tem nível, direção, tamanho, lugar, foco e trajetória. 

A FORÇA

A força é o terceiro elemento da dança. Todo movimento pode ser alterado por mudança na força, dependo destas quatro manifestações: ataque, peso, resistência e fluxo.

O TEMPO 

Além do corpo, espaço e força, temos o tempo, o quarto elemento da dança. O tempo é a duração cronológica de uma ação ou evento. Na  dança, assim como na música, o tempo está relacionado ao ritmo. O ritmo consiste na combinação de durações iguais ou diferentes unidades de tempo, produzidas pelos movimentos corporais. Podem ser representadas pelas notações musicais de valores de tempo. O obedecendo a um compasso ( unidade rítmica marcada pelo pulso), em determinada velocidade ( lenta ou rápida), e com uma duração definida (longa ou curta). A combinação desses elementos de tempo produz um padrão rítmico, caraterizado pelo acento, que é a ênfase dada em determinado momento do movimento, acompanhando a marcação forte no ritmo, e pela pausa, medida de tempo durante o qual uma ação corporal é interrompida e reiniciada.

Sugestão de  leitura: Texto revisado de Angela Ferreira do curso de dança criativa.

Quer saber mais sobre se inscreva no Blog e receba em primeira mão as novidades.


By BENEVIDES

Seu comentário é importante!

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

QUALIDADES e BENEFÍCIOS DA DANÇA

A dança é a necessidade natural e instintiva do homem de exaurir (gastar-se ou despejar-se), pela movimentação, um estado emocional. De um improviso desordenado a uma forma disciplinada, a dança acompanhou a evolução do homem, aperfeiçoando-se a medida que ele se civilizava. A dança -ciência ou arte - representa-se como entendimento completo das possibilidades físicas do corpo humano, que permite exteriorizar um estado latente, pelo jogo de músculos, segundo as leis naturais do ritmo e da estética. E Sendo o corpo humano o instrumento da arte da dança, é necessário discipliná-lo e desenvolvê-lo, a fim de que o mesmo atinja, através do movimentos harmônicos e coordenados, toda a plasticidade, pureza de linhas e expressão possíveis. Desda forma, a prática da dança permite desenvolver e enriquecer as qualidades do homem no seu físico, na sua mente e psique. Veja algumas das qualidades essenciais trabalhadas pelo ensino da dança.

BELEZA /trabalho físico

A dança melhora extraordinariamente a postura do corpo através de seus exercícios preparatórios. Os exercícios ajudam a queimar gorduras em excesso, desenvolvem uma bela musculatura e desintoxicam o organismo, aumentando a capacidade respiratória, além do mais dão um belo porte, naturalidade, elegância e segurança nos movimentos.

VISÃO

Assim como os pintores e escultores, os dançarinos desenvolvem a capacidade de perceber formas e linhas, nas suas proporções harmônicas e equilibradas.

PRECISÃO

A velocidade ou rapidez e a precisão na execução de certos movimentos controlam e disciplinam o sistema nervoso, muscular e mental, aumentando e fortalecendo o equilíbrio inteiro.

COORDENAÇÃO

Exercícios tais como saltos, pontas, equilíbrios, baterias exigem esforços particularmente grandes, fazendo trabalhar os músculos na sua capacidade máxima.

FLEXIBILIDADE

Liberdade de movimentos dentro de um controle muscular, que, unida a força, dá toda beleza nos movimentos mais difíceis e técnicos.

TENACIDADE/ constante - coeso

Esta é, sem duvida alguma, a qualidade mais indispensável para a formação de um bailarino e artista professional, aliada aos atributos essenciais: estética e musicalidade.

IMAGINAÇÃO

Não existe arte sem imaginação. É um campo infinito de possibilidades a ser trabalhada e desenvolvida através da musica, da poesia, das lendas, da prosa, por diversos meios e formas como complementação do dançarino.

EXPRESSÃO

Qualidade artística mais importante, não somente na dança mas em todas as artes. Requer um esforço físico e metal para expressar as grandes emoções com vericidade e precisão.


Sugestão de leitura: Leituras de vários textos sobre dança e esportes. 

By BENEVIDES

Seu cometário é importante!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

DANÇA CRIATIVA

 UM NOVO OLHAR SOBRE O CORPO

Quando pensamos em dança, logo nós vem a mente os grandes Ballet's, belos figurinos e bailarinas lindas e flexíveis. Pois bem, vamos pensar a dança enquanto movimento, um corpo além dos termos técnicos, ou seja, um corpo que é capaz de pensar, realizar e criar. Ir além das praticas repetitivas das danças já pre-estabelecidas. Que pode ser mais que um instrumento para beneficiar a dança.
O nosso corpo têm memórias que vão sendo depositadas ao longo do tempo. Essas memórias revela nossa identidade racial, cultural, histórica e nosso modo de vida. Precisamos ver o corpo além da perfeição técnica e visual, mas como fonte rica de conhecimento e possibilidades criativas, podemos e devemos explorar essas memórias que carregamos. Então faz-se necessário transitar entre as linguagens técnicas e a liberação criativa do ser humano. Fomentar o trabalho do todo, salientar os componentes criativos e imaginativos da dança, revisando e recriando o mundo que vivemos.
Pensando na formação ampla do ser humano, de futuros artistas, interpretes-criadores e indivíduos críticos, é preciso rever a condição dos mediadores dessa ação; os professores. No processo pedagógico que norteie o ensino da dança como meio de formação pra vida. Após o individuo tomar consciência de si, estará pronto para tomar consciência de sua dança. A dança criativa pode ajudar recuperar essa relação artística e lúdica que todos temos com o nosso corpo em suas possibilidades de movimentar-se expressivamente.

A DANÇA CRIATIVA  O que é ? 

Comunicação através do movimento, é uma aula de exploração livre do movimento. Linguagem de movimento onde o corpo é instrumento. Se não soubermos nos expressar pelo movimento, nossa arte estrá incompleta.
A dança criativa entra nesse cenário de experts em executar sequencias de passos e atividade física padronizada de movimentos estéticos. A ideia aqui é transcender o exercício físico, é exteriorizar a linguagem dos sentimentos, ideias e emoções. Preparando o individuo pra vida e não somente para reproduzir movimentos em apresentações cênicas. Ampliando suas ações de forma critica e transformadora, levar a reflexão pelo movimento. 

ONDE SURGIU A DANÇA CRIATIVA?

A dança criativa surgiu na década de 70 na Universidade de Artes Cênicas da New York University de Ohio em Athens/USA, pela professora chamada Mary Joyce. Todo seu trabalho se baseou nos ensinamentos do analista de movimento Rudolf Laban e mais tarde em seus seguidores e responsáveis pelo uso da dança como meio de educação através da vivencia criativa do movimento. Ao estudo do método de Laban, Mary Joyce acrescentou os resultados dos seus experimentos com crianças de diferentes idades, criando assim o seu próprio método.

ONDE SE APRENDE DANÇA CRIATIVA?

Qualquer professor criativo, com algum conhecimento prévio em dança, formação e experiência com o ensino. A missão desse professor será conduzir os alunos na direção que lhes permitam descobrir por si mesmos a experiência da dança. Que tenha a convicção de que está educando através da arte e que deve estimular o pensamento critico e artístico. Ampliando assim a sensibilidade, a percepção, a reflexão e a imaginação desse aluno. Ensinando a serem ao invés de fingirem ser algo, motivando, encorajando, questionando, desafiando e organizando meios para essa comunicação pelo movimento seja envolvente e traga crescimento.
     
QUAL A IDADE PARA SE FAZER DANÇA CRIATIVA?
  
A dança criativa pode ser praticada por todas as faixas etárias, não há idade limite. O objetivo que vai mudar de acordo com o público. Os elementos devem ser organizados que forma coerente e adaptada para a faixa etária desejada através da escolha da linguagem e dos estímulos apropriados.

QUAL O OBJETIVO DA DANÇA CRIATIVA?

Seu principal objetivo é a comunicação através do movimento. Conduzir ao uso criativo dos elementos da dança por meio da experimentação e exploração, compreensão e controle.Usando de diferentes linguagens, pensamentos, movimentações de forma que descubram o que seu corpo pode fazer. Possibilitar a expressão em aspectos biológicos, psicológicos, sociais e motores.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DA DANÇA CRIATIVA? 

Seja o publico infantil ou não a dança criativa mostra o caminho do movimento consciente e de suas potencialidades por meio de jogos representativos. Ajuda na compreensão de outras artes e auxilia na aprendizagem dos conteúdos escolares, a explorar toda sua capacidade de expressão pessoal através do seu corpo, mente e sentimentos engajados na comunicação do próprio eu. Aborda o conhecimento do esquema corporal, educação auditiva, dinâmica corporal e as suas possibilidades motoras e estruturação das relações espaciais e temporais.
Ex; na literatura, representação de textos escritos, na matemática, formas e linhas etc. 

ONDE SE APRENDE DANÇA CRIATIVA?

Há varias escolas de dança que incluem esse método no seu rol d ofertas. Porem se pensarmos no ensino de dança para crianças até seis anos, poderá ser aplicada no ensino regular.

NOTA:
Familiaridades com expressão corporal ou preparação corporal ambos seguem essa mesma linha de educação pelo movimento. 

Sugestão de leitura: Apostila de dança criativa/ Unidança / Textos de Professora Angela Ferreira, revisado por By BENEVIDES.

Seu comentário é importante!

terça-feira, 4 de outubro de 2016

O MOVIMENTO

 O universo está em movimento. Tudo possui seu ritmo e seu próprio movimento, sendo voluntário ou não, consciente ou inconsciente. É através do movimento que a história vai sendo escrita e a linguagem desenvolvida. O homem se movimenta pra se expressar e pra se comunicar. Codificando e decodificando seus próprios movimentos de acordo com suas necessidades e crenças. Assim a sua movimentação vai ganhando sentindo, sendo harmoniosamente coreografado em forma de dança. 
O homem primitivo dançava pra se comunicar porque não sabia falar, hoje os homens falam, mas continuam dançando, não mais como antes. A forma, o conteúdo, a intenção  pode se transforma á todo instante. Mas ele continuou dançando porque o movimento faz parte do ser vivo, através da qual o corpo se expressa e entra em contato consigo mesmo. O corpo é espectador, ator e autor de si. Viva em movimento!

By BENEVIDES

Seu comentário é importante!

O CORPO E A DANÇA

O corpo é mais que instrumento para dança, ele é a dança. É moldado, disciplinado e resinificado, que aprende e desaprende de acordo com as necessidades específicas. Vive a técnica mas aprende a negociar com ela. É o nosso referencial imediatista e concreto. Toda e qualquer iniciativa passa pelo corpo, instrumento de comunicação do homem com mundo. Por meio dele recebemos e emitimos informações de dentro e fora do corpo. Intercâmbio de códigos legitimados ou não.
 A dança e o corpo se relacionam o tempo todo de forma social ou teatral. Com propósitos e especificações diferentes onde o corpo/interprete reproduz e se organiza e expressa graficamente os sentimentos proporcionados pela sequência de movimentos corporais de forma individual ou coletiva. Desencadeia ações representativas do corpo/sujeito dos discursos culturais que, nos faz pensar todo corpo pode dançar? Todo corpo se constitui dançante?

Assistam o vídeo que trata bem sobre essa temática. 

Sugestão de leitura: História Comparada do Esporte/ Autor Victor Andrade de Melo
                                                                                 
       

By BENEVIDES

Seu comentário é importante!

DINÂMICAS DE RECREAÇÃO E INTEGRAÇÃO

     As chamadas DINÂMICAS DE RECREAÇÃO E INTEGRAÇÃO se encaixam no campo das relações Humanas e servem para:
  • integrar a pessoa no meio social
  • desenvolver o conhecimento mútuo e a participação grupal
  • a busca da convivência com colegas da mesma idade 
  • desenvolver ocupação para o tempo ocioso 
  • adquirir hábitos de relações interpessoais
  • desinibir e desbloquear
  • desenvolver a comunicação verbal e não-verbal
  • descobrir habilidades lúdicas
  • desenvolver adaptação emocional
  • descobrir sistemas de valores
  • dar evasão ao excesso de energia e aumentar a capacidade mental.
Tendo em vista estes objetivos as dicas de jogos e dinâmicas facilitarão a construção do corpo pensante.

ORA DE PRATICAR!
  •  A MÁQUINA 
  1. Todos os participantes em pé em circulo.
  2. O facilitador solicita que todos construam uma máquina em movimento, usando somente seus próprios corpos.
  3. A seguir orienta, dizendo que um dos participantes irá dar inicio, fazendo movimentos repetitivos, com os braços, um no alto e outro pra baixo, movimento ritmado, acompanhado pelo som da boca.
  4. Os outros participantes ajuntam-se um a um, imitando um dos participantes que iniciou o jogo, como parte de uma grande maquina, e depois vão acrescentando seus próprios movimentos e sons de boca.
  5. O exercício continua ate que todos tenham se integrado, imitando os diferentes sons e movimentos.
Habilidades trabalhadas: imaginação criativa, percepção, ritmo, trabalho em equipe, desinibição, integração, expressão corporal e vocal, concentração, atenção dentre outros. Pode ser usado pra composição coreográfica. 


  • O SEMÁFORO 
  1. O facilitador forma duplas, entre os participantes, que se colocam em forma circular um de frente pro outro.
  2. Durante todo tempo do jogo toca uma música. Inicia-se a dança. 
  3. Á certa altura, o facilitador diz em voz alta os combinados: semáforo está vermelho todos continuam a dançar, semáforo verde todos param de dançar e a música continua, semáforo amarelo todos trocam de par.
  4. Quem se enganar, na troca, ou nas ordens, sai do jogo.

Habilidades trabalhadas: Percepção, concentração, atenção, interação social, noção espaço-temporal e outros.

  • AS METADES
  1. O facilitador organiza em duas caixas jornais, revistas, fotografias, textos divididos ao meio e os coloca em caixas diferentes.
  2. Todo este material preparado é colocado no meio do circulo.
  3. O jogo se inicia quando são dividas em equipes iguais em quantidade de participantes.
  4. Então é entregue uma caixa pra um grupo e outra pra o outro grupo.
  5. Cada participante pegará uma metade dentro da caixa e sairá ao encontro de sua outra metade.
  6. Quando encontrar deverão se apresentar e dialogar por um tempo determinado pelo facilitador.
  7. Passado o tempo um dupla por vez deverão se apresentar, sendo que um deve apresentar o outro que acabou de conhecer. 

Habilidades trabalhadas: Jogo de integração social, desinibição, construção de imagem, raciocínio e linguagem. 

Isso ai pessoal espero que gostem dessas dicas de dinâmicas de integração. Elas servirão de inspiração pra diversas situações. Usem a criatividade, explorem em diferentes vertentes do ensino. Breve posto mais!

Sugestão de Leitura: Dinâmicas de recreação e jogos. Autor: Silvino José Fritzen 

By BENEVIDES

Seu comentário é importante!